Orçamento prevê R$ 2,5 bi para fundo eleitoral em 2020

O fundo eleitoral é um caixa fundamental para eleger os candidatos, que precisam fortalecer suas campanhas políticas. E esse setor estará sendo bastante assistido no próximo ano, uma vez que o orçamento previsto cresceu consideravelmente se comparado aos anos anteriores. Saiba tudo sobre a notícia conferindo as informações a seguir:

As campanhas eleitorais são um dos processos pelos quais os candidatos para cargo político precisam passar e se você já conferiu as datas das eleições em 2020deve estar sabendo que o fundo eleitoral estará sendo acionado muito em breve.

Todos os anos, o governo disponibiliza o fundo eleitoral para que candidatos e as próprias prefeituras possam lançar suas campanhas eleitorais.

O fundo eleitoral é uma verba disponível para gastos com todos os aspectos da campanha eleitoral dos candidatos e dos próprios partidos, indo desde a divulgação nas mídias até a projetos nas ruas.

Essa movimentação financeira representa valores altos para o Governo, e a expectativa é que que se amplie ainda mais a verba para essas operações.

Mas com tantos cortes de verba no país, o que esperar para o fundo eleitoral de 2020?

De acordo com a previsão do próprio fundo eleitoral, R$2,5 bilhões serão disponibilizados para esse determinado setor. O percentual supera o dobro dos gastos para a eleição anterior.

O número pode estar surpreendente muitas pessoas, mas a verdade é que o orçamento que foi inicialmente valiado pelo Congresso, tinha a proposta de destinar R$3,7 bilhões para o fundo eleitoral.

Para os eleitores, é difícil prever o destino dessa verba e de que forma ela será realmente a plicada aos projetos, o que gerou bastante insatisfação nas redes sociais.

As justificativas para os valores exorbitantes, inclusive pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, é que o Congresso esta cumprindo ordens da presidente do TSE.

Na verdade, ainda existem muitos debates sobre o orçamento previsto para o fundo eleitoral da próxima eleição. Marcel Van Hattem. líder do Novo, por exemplo, afirmar ter requerido um abate nesse total.

Alguns especialistas da Economia defendem que a somo dos valores que devem ser suficientes para cumprir o objetivo do fundo eleitoral, foram efetuados de maneira errônea, considerando cifras desnecessárias.

Além dos fatores mencionados, existe ainda a discussão de uma proposta que reavalie os critérios responsáveis por partilhar o orçamento entre os partidos em questão.

A previsão do orçamento, que representa um crescimento de 48% comparado ao último ano, ainda está sendo uma divisora de opiniões dentro do próprio Congresso.